30 agosto 2010

Teatro da lenda "O Curupira"

A LENDA DO CURUPIRA

INTRODUÇÃO:

O folclore brasileiro é rico em personagens lendários e o curupira é um dos principais. De acordo com a lenda, contada principalmente no interior do Brasil, o Curupira habita nas matas brasileiras. De estatura baixa, possui cabelos avermelhados (cor de fogo) e seus pés são voltados para trás.
O curupira é um ser fantástico, que segundo a crença popular, mora em florestas, sua função é a de proteger as plantas e os animais, além de punir quem os agredir. Vamos conhecer uma das diversas aventuras do Curupira:

TITULO: O curupira, amigo da natureza.

Havia um homem chamado José que gostava muito de caçar, o seu maior prazer era passar os dias inteiros no mato, passarinhando, armando laços e arapucas. Certo dia, seu José saiu como de costume para caçar, e seu objetivo naquele dia era matar uma onça para demonstrar sua bravura.
Então ficou de tocaia com sua espingarda atrás de uma árvore, esperando a hora em que pudesse atacar. De repente seu José escuta uns ruídos entre os galhos e diz:
- Puxa! Tomara que seja um bicho grande!
- Hoje é o meu dia de sorte!
Seu José tinha razão, era realmente um animal grande, uma onça pintada. Quando a onça percebeu que estava sendo perseguida, imaginou:
- O que vou fazer?
- Estou em perigo! Preciso de ajuda, pois muitas amigas minhas já morreram, vitimas da maldade dos homens.
- Socorro! Socorro, alguém me ajuda?
E quando o caçador se prepara para atirar na indefesa onça, foi surpreendido por um assobio assustador, era o Curupira, protetor da mãe natureza, amigo dos animais e das plantas.
O caçador assustado com aqueles horrendos assobios exclamou:
- Que barulho é esse? Será que é o temível Curupira?
A onça percebendo que o caçador tinha ficado atordoado com aquele assobio tratou logo de fugir:
- Tenho que ir embora, preciso fugir daqui.
- Tenho medo de acabar como minhas amigas, que viraram bolsas e sapatos luxuosos.
Ao sair correndo, a onça encontrou uma cobra e um passarinho e lhes avisou:
- Não passem próximo daquela árvore, pois tem um malvado caçador, que está pronto para matar qualquer animal.
Assustada disse a cobra ao passarinho:
- Que malvado, como alguém que também faz parte da natureza pode ser tão cruel.
O passarinho complementou:
- Ainda bem que temos o Curupira para nos proteger.
Enquanto os animais avisavam uns aos outros, o caçador aos poucos vai saindo de trás da árvore se sentindo perdido e diz:
- O que está acontecendo não sei mais onde estou.
O caçador olhou ao seu redor e avistou um menino de estatura pequena, cabelos vermelhos e com os pés para trás. Era o Curupira!
- O que pensava em fazer seu caçador? Perguntou o Curupira.
- Queria apenas me divertir, matando aquela onça.
O Curupira ficou muito triste e disse:
- Como você pode matar um ser vivo e indefeso que faz parte da nossa natureza só por prazer.
- Vocês homens deveriam ter vergonha de cometer tamanha maldade.
O homem, ainda em cima da árvore, ficou a pensar sobre o que o Curupira havia lhe falado. E depois de muito refletir, disse:
- O Curupira tem razão, não vou mais tirar a vida de animais só por prazer e maldade, pois eles são parte da natureza como nós seres humanos e, por isso devemos viver em harmonia.
- Prometo que nunca mais irei matar nem destruir a natureza.
Assim, mais uma vez, o Curupira conseguiu proteger os animais da floresta. Até hoje ele é considerado o grande protetor da fauna e da flora Brasileira e onde há perigo para os animais e plantas ele está presente, tentando vencer a maldade e a ganância dos homens.

(História adaptada por Cássia Feitosa e Cristiane Helenne)

2 comentários:

Douglas, Bia e Delzita disse...

gaosteii muito dessa peça de teatro...
e para mim terá uma grande utilidade, em poder reapresenta-la em minha escola...

Anônimo disse...

Eu apresentei ssa peça na escola]